Arquivo

Archive for março \18\UTC 2011

Declaração de IR 2011

Neste ano de 2011 a declaração do Imposto de Renda do Exercício de 2010 será exclusivamente entregue em formato eletrônico. Fica então algumas recomendações para aqueles que não estão habituados com a mordida online do Leão, que valem para todos que já faziam a declaração pela Internet:

  • Não faça ou envie a declaração a partir de terminais públicos, como Lan Houses e Cybercafés. Muitos computadores e redes possuem trojans ou outros mecanismos de captura de senhas e outras informações pessoais. Se você não possui um computador, faça a partir do trabalho ou do computador de um amigo. Isso já reduz o risco de vazamento de informações pessoais.
  • Para fazer o download, utilize o site da Receita Federal. Digite o endereço do site na barra de endereços do seu navegador, não clique em links de outros sites. O endereço é http://www.receita.fazenda.gov.br
  • A Receita Federal não envia e-mails. Não clique em qualquer link contido em um suposto e-mail da Receita. Ele é falso.
  • Utilize antivírus e mantenha o sistema operacional e o antivírus atualizados. É uma maneira simples e eficaz de reduzir o risco de código malicioso instalado na estação no momento em que você estiver digitando informações ou enviando para o site da Receita.
  • Não utilize software pirata. Muitos dos softwares piratas disponíveis na Internet ou na rua estão contaminados com trojans.
  • Grave em CD ou pendrive as declarações e recibos após o envio para a Receita.
  • Para reduzir ainda mais o risco, o usuário pode considerar obter um certificado digital da ICP-Brasil, conhecido como e-CPF. Através do certificado digital, é possível garantir o não-repúdio, ou seja, o usuário garante que foi ele mesmo quem enviou a declaração, eliminando a oportunidade de outra pessoa fazer o envio em seu nome.
Anúncios

Japão alertou usinas nucleares em 2008

A IAEA (Agência Internacional de Energia Atômica) alertou o Japão em dezembro de 2008, em reunião do grupo Nuclear Safety and Security do G8, em Tokyo, sobre o risco de usinas nucleares não estarem preparadas para grandes terremotos. O alerta informava que as usinas possuíam controles de segurança desatualizados e que somente suportariam tremores de magnitude 7.0 e não de 9.0 como ocorreu no dia 11 de março.

É possível que uma decisão executiva tenha tomado o lugar de uma decisão técnica, ou que os controles de segurança não tenham sido implantados em tempo. É também possível que nem todas as ameaças tenham sido consideradas, já que os reatores (parcialmente) resistiram aos terremotos e ao tsunami, mas ficaram sem refrigeração devido à entrada de água na infraestrutura.

De qualquer forma, a próxima avaliação da IAEA será muito importante para definir o que pode ser feito no Japão e também para guiar outros países, incluindo aí o Reino Unido, que planejam grandes expansões na geração de energia a partir de usinas nucleares.

De acordo com a matéria do jornal inglês The Telegraph, telegramas da Embaixada americana vazados pelo WikiLeaks demonstram que o especialista da IAEA explicou que os controles de segurança sísmica só foram atualizados 3 vezes em 35 anos.

Geralmente encontramos “especialistas” que falam o óbvio depois do acontecido, algo que deveria ou não poderia ter sido feito. Neste caso, o especialista lançou o alerta antes. Resta saber ainda se as medidas que o governo japonês informou ter implantado após o alerta seriam suficientes ou se este caso foi realmente uma fatalidade. O Japão é o terceiro maior usuário de energia nuclear com 53 reatores.

Arranhando a imagem

Fazer críticas e expor opiniões é a sensação da Internet. Isso não é novidade já que os blogs e videologs já existem há alguns anos e são fonte de renda de alguns blogueiros. Em alguns casos, os autores fazem questão de produzir vídeos com suas opiniões para que seu tom de voz e sua expressão facial possam ilustrar o que pensam sobre um determinado tema. Afinal, gerar polêmica na Internet pode render um dinheiro extra, independentemente de a sua opinião ser considerada correta ou errada pela maioria. O importante é gerar visitas.

Mas algumas críticas ou opiniões podem gerar mais do que isso. É o caso das três pessoas citadas nas matérias abaixo, do jornal O Globo e da Folha de S. Paulo. Não vou reproduzir ou comentar sobre o conteúdo para poupar espaço. Com certeza todos nós já vimos muitos casos semelhantes na mídia. Esses são recentes.

Veja as matérias na íntegra: Mayara Petruso, Alexandra Wallace e William Melchert-Dinkel.

    O que deve ser considerado antes de publicar um conteúdo:

  • Qual é o meu público-alvo?
  • Meu conteúdo (conjunto de imagens, vídeo, áudio e texto) pode ser considerado ofensivo (ilegal de maneira geral)?
  • Meu conteúdo pode ser considerado apologia à algum crime?
  • Preciso realmente incluir todos os palavrões que conheço? Posso expressar o que penso de outra forma?
  • Será que realmente consigo me esconder atrás de um apelido (inclusive das autoridades)? Não seria interessante descobrir o que é um endereço IP ou o que significa Computer Forensics?
  • Se lido por povos de outra cultura esse mesmo conteúdo pode ser ofensivo?
  • Neste momento, publicar esta opinião poder ser considerado insensível?
  • Estou publicando conteúdo protegido por lei de direitos autorais?
  • Quais informações pessoais eu mesmo já vazei na Internet (foto, e-mail, telefone, locais que frequento com GPS, local de trabalho e estudo, etc.) que podem me identificar no “mundo real”?

Essas são apenas algumas questões que devem ser consideradas antes de fazer um comentário na Internet. Criar uma imagem na Internet pode levar muito tempo e a própria Internet pode se encarregar de destruí-la em minutos. Em alguns casos, os autores também aceitam o risco de se complicar com a justiça. É uma questão de gestão de riscos, afinal, tem muita gente ganhando dinheiro na Internet gerando polêmica.

* Atualização de 26.03.2011:

* Atualização de 30.03.2011:

* Atualização de 01.04.2011:

Categorias:Geral

Alckmin afasta funcionário por vazamento de informações

1 . março . 2011 1 comentário

O Governador de SP, Geraldo Alckmin, afastou nesta terça-feira o sociólogo Tulio Kahn por vazamento de informações sigilosas referentes à estatísticas de violência no Estado. De acordo com a matéria da Folha, o sociólogo vendia serviços de consultoria com informações vetadas “para não alarmar o público”. Entre as informações estaria o tipo de bens levados com maior frequência em assaltos a condomínios de São Paulo e os furtos mais comuns na região de Campinas. Não havia, no entanto, informações sobre ruas ou locais específicos.

O sociólogo nega o vazamento das informações.

A notícia é da Folha de São Paulo e pode ser lida em http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/882683-alckmin-afasta-funcionario-por-venda-de-dados-sigilosos.shtml.

Gmail restaura contas de usuários

O Google informou hoje que recuperou de fitas de backup as mensagens de 40.000 contas de e-mail, ou 0.02% da base (antes o percentual era 0.08). No final do dia 28.02 uma pane apagou milhares de contas e os detalhes sobre o problema podem ser visualizados no blog do Gmail em http://gmailblog.blogspot.com/2011/02/gmail-back-soon-for-everyone.html.

Esta não é a primeira vez que o Gmail sofre de indisponibilidade temporária. Em incidentes ocorridos nos últimos anos, o Gmail ficou indisponível para alguns usuários que não conseguiam acessar o site do serviço. Dessa vez, pequena parte dos usuários foi afetada, recebendo a tela inicial de criação de conta ao tentar fazer logon. Ou seja, a conta estava vazia.

Para reduzir o risco de indisponibilidade, o usuário pode baixar suas mensagens para o computador local. Isso evita apenas que o usuário fique temporariamente sem uma informação necessária (se estiver com acesso ao computador onde as mensagens estão armazenadas), no entanto, dependendo do problema, pode não conseguir enviar e-mails. Qualquer programa de e-mail que suporte conexões criptografadas (SSL) pode ser usado.

%d blogueiros gostam disto: